Buscar

Idade não será critério de prioridade na escolha de vagas em UTI no RJ



Neste sábado (02/05), a Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro (SES-RJ) informou que, a respeito do protocolo que está sendo elaborado para auxiliar as equipes médicas em relação à prioridade por vagas em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) de pacientes infectados pelo Coronavírus, a idade da pessoa não será utilizada como ”critério de desempate”.


Segundo a SES-RJ, o protocolo, que ainda não entrou em vigor, está sendo elaborado junto à Academia Nacional de Cuidados Paliativos (Regional Rio de Janeiro), Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (Seção Rio de Janeiro), Sociedade de Terapia Intensiva do RJ, Sotierj e UFF.


Ainda de acordo com a pasta, o protocolo tem como objetivo orientar, de maneira mais apropriada, sobre como as equipes médicas devem pôr em prática os recursos, visando aumentar as chances de sobrevivência dos pacientes. Ou seja, ele não será criado para restringir quem deverá ser internado nas UTIs.


Numa versão preliminar, isto é, não-oficial – logo, não está valendo -, os critérios abordados foram: funcionamento de órgãos (pulmões, rins, coração, etc); doenças pré-existentes (diabetes, hipertensão, obesidade); idade (prioridade para os mais novos); e ordem de solicitação da vaga.


Este documento não-oficial tinha um avaliação de pacientes, somando-se notas de 0 a 24 pontos. De acordo com o protocolo, a pessoa que tiver mais pontos no prontuário será colocada no final da ”fila”. Ou seja, quem tiver menor pontos – pessoas sem doenças pré-existentes, por exemplo -, terá mais chance de receber o tratamento necessário caso seja preciso que os médicos façam a difícil escolha. Teoricamente, quem tiver menos pontos tem mais chance de sobreviver caso seja infectado de maneira grave pela Covid-19.



10 visualizações